VEREADORES RECEBEM RESPOSTA DO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS REFERENTE À RESTOS DO PERÍODO DE 2012 A 2016 E EXTRATOS BANCÁRIOS DO EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2016

por Mozzarth Almeida publicado 14/03/2017 17h30, última modificação 14/03/2017 17h32
Os ofícios e os requerimentos foram de autoria do Presidente da Câmara Municipal, José Aelson dos Santos.

Na última quinta-feira (09/03), em resposta ao Ofício de nº 018/2017 e ao Requerimento de nº 012/2017, que solicitava o encaminhamento da relação completa de credores deixados em restos a pagar pelo Ex-Gestor do Município de Propriá, José Américo Lima e ao Ofício de nº 018/2017 e ao Requerimento de nº 014/2017, solicitando o valor financeiro deixado no dia 31/12/16 em todas as contas da Prefeitura Municipal de Propriá-SE com seus extratos, o Secretário Municipal de Finanças, Sérgio Luís Rocha enviou para o Poder Legislativo Municipal todos os dados solicitados.

Os ofícios e os requerimentos foram de autoria do Presidente da Câmara Municipal, José Aelson dos Santos. O mesmo entregou os ofícios do dia 18/01/17, como não houve resposta, subscreveu dois requerimentos na Sessão Ordinária do dia 09/02/17, os mesmos foram aprovados por unanimidade. Buscando assim evitar boatos, comentários nas redes sociais, nos programas de rádio sobre a inconstância das informações dadas sobre as finanças municipais.

O Presidente da Câmara justificou seu posicionamento. “Encaminhei após receber várias reclamações de fornecedores que prestaram serviços na gestão de Américo e não receberam o dinheiro. Então fiz um oficio e entreguei ao Prefeito no dia 18 de janeiro, na condição de Presidente da Câmara, e não obtive resposta. Fiz o requerimento que foi aprovado por unanimidade, felizmente recebemos a respostas vamos analisar para ver onde está a verdade dos fatos.”, afirmou o vereador autor.

A Casa Legislativa Municipal recebeu oficialmente um relatório de uma ação onde o ex-prefeito José Américo reclama que tem dinheiro em caixa para pagar os fornecedores, posteriormente esta Casa recebeu o ex-prefeito onde apresentou seu Relatório de Gestão, identificamos que as informações dadas não condizem com a situação atual do município, onde permanecem débitos do período financeiro anterior. “Essa casa tem a obrigação de fiscalizar, esse é o papel, primeiro presta contas a essa Casa, depois presta ao Ministério Público”, ressaltou José Aelson no dia da aprovação dos requerimentos.

error while rendering plone.comments