CPI ouve testemunhas para investigar supostas irregularidades atribuídas ao prefeito Iokanaan Santana

por Mozzarth Almeida publicado 23/06/2020 00h00, última modificação 21/07/2020 14h48
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com a finalidade de investigar supostos atos ilícitos enumerados no Requerimento nº 001/2020, de autoria dos vereadores da Câmara Municipal de Propriá, e consubstanciados em áudios atribuídos ao prefeito do município, Iokanaan Santana, iniciaram as oitivas nesta terça-feira, 23.

Com a supervisão do advogado da Casa Legislativa, João Bosco Freitas Lima foi ouvido três testemunhas, sendo elas: Carlos Kleber da Silva, suposto autor da gravação; André Luiz Silva Fontes, quem divulgou fragmentos do referido áudio nas redes sociais; e José Ancelmo Alves Ramos, chefe do setor de tributos, órgão mencionado no áudio.
A testemunha Luiz Claudio Ferreira Santos, superintendente da SMTT na época da gravação, instituição mencionada no áudio, teve ausência justificada por estar em suspeita de covid-19, com isso, redesignado a oitiva para do dia 02 de julho, às 10h.

Ainda na ocasião, foi determinada a notificação para oitiva da Sra. Sonia Ramos Pontes, esposa de Kleber, por ter sido mencionada no testemunho de hoje. Além da notificação mediante Aviso de Recebimento do Sr. José Robério, que se recusou a receber o ofício de convocação anteriormente. Uma testemunha por nome de Daniel, que iria testemunhar hoje, foi dispensada.

Todos os depoimentos estão sendo gravados em áudio e vídeo para contribuir no processo. A comissão é composta pela presidente Dilma da Colônia (MDB), pelo relator Heldes Guimarães (PSD) e por um membro Pequeno (PL). As respectivas fases da investigação estão sendo documentadas e suas conclusões serão remetidas ao Ministério o Público, respeitando os princípios constitucionais aplicáveis.
error while rendering plone.comments